Entenda como funciona uma entrevista estruturada e saiba como aplicá-la!

Processos seletivos têm um papel crucial no sucesso de uma organização, afinal, eles são a via de acesso a talentos com potenciais diferenciados. Além disso, quando bem conduzidos, eles reduzem os custos com demissões por incompatibilidade e os índices de rotatividade, contribuindo para a satisfação e a produtividade dos colaboradores.

Nesse contexto, a entrevista estruturada é uma das melhores estratégias. Quer saber como ela funciona? Ao longo deste artigo, veremos as principais informações acerca da sua elaboração e aplicação em um processo seletivo. Continue lendo e confira!

O que é uma entrevista estruturada?

Basicamente, esse tipo de entrevista se baseia em perguntas previamente roteirizadas para serem aplicadas entre os candidatos. Isso possibilita, entre outros fatores, maior imparcialidade e objetividade na avaliação dos indivíduos e de suas respostas. Para entender o seu funcionamento, contudo, é necessário compreender antes a função de uma entrevista de emprego.

Seu objetivo central é a coleta de informações profissionais e pessoais que a empresa não conseguiu assimilar durante as fases precedentes do processo de seleção. Por meio dessas informações, a entrevista pode evidenciar os candidatos com as competências e habilidades ideais para se assumir as atribuições e responsabilidades do cargo ou função.

Nesse sentido, os roteiros das entrevistas são semelhantes a uma pauta: no final do processo, com a apuração das informações junto ao setor solicitante, você terá melhores condições de conduzir a entrevista.

Segui-los é uma excelente forma de elaborar informações que devem ser respondidas e levantadas tanto pelo entrevistador quanto pelo candidato. Em outras palavras, é uma forma de garantir um bom andamento das atividades do recrutador. Esses roteiros ajudarão a criação de um momento realmente único, capaz de tornar o processo coerente e facilitar o atingimento das metas da empresa.

Quais são os seus principais benefícios para a seleção de candidatos?

Como dissemos, a entrevista estruturada é um método que assegura a padronização e o alinhamento de um processo seletivo. A partir dela, é possível garantir que todos os candidatos terão as mesmas oportunidades e serão avaliados da mesma forma.

Podemos citar ainda outros benefícios importantes, como:

  • mais precisão — ao garantir que os entrevistadores tenham maior controle, a entrevista estruturada reduz as chances de erros;
  • imparcialidade nos processos de seleção — as avaliações de candidatos se tornam mais objetivas, e o recrutador passa a saber exatamente como classificar os melhores candidatos, segundo as necessidades da empresa;
  • qualificação da análise de respostas — a padronização das entrevistas também facilita as avaliações e comparações, viabilizando uma melhor classificação das informações coletadas;
  • redução de erros — o método estruturado permite um controle maior ao entrevistador, a fim de evitar erros mais comuns;
  • padronização de testes e entrevistas — por ser padronizada, a entrevista estruturada viabiliza a quantificação e classificação das informações levantadas;
  • relatórios precisos — também por conta da padronização, é muito mais preciso o processo de identificar as características dos interessados na vaga.

Como aplicar uma entrevista estruturada?

O momento da entrevista representa uma oportunidade para o candidato relatar as suas experiências, falar da sua personalidade e as formas pelas quais ele pode colaborar para o desenvolvimento da empresa em que deseja atuar. Por outro lado, é também uma forma de a instituição encontrar os profissionais ideais para ela.

Nesse sentido, algumas medidas devem ser tomadas na aplicação dessa entrevista para garantir a sua efetividade. Vejamos, a seguir, as principais delas.

Tenha um bom planejamento

Caso o recrutador não tenha o domínio necessário, as entrevistas dificilmente serão bem conduzidas, comprometendo os resultados e impedindo que um profissional verdadeiramente qualificado seja encontrado.

É imprescindível, portanto, se assegurar de que os responsáveis pelo processo façam um mapeamento de competências e conheçam, de antemão, as experiências e habilidades requeridas para a vaga em questão. Assim, fica mais fácil traçar os perfis desejados e garantir e acelerar o processo de contratação mais adequado.

Fique atento às informações a serem coletadas

A partir das especificações desejadas pela organização, o recrutador poderá questionar o candidato e identificar o seu enquadramento às exigências do cargo e à cultura organizacional.

Com o auxílio do currículo, essas informações declaradas devem ser conferidas de perto — é adequado, inclusive, dialogar com o candidato sobre isso, a fim de que ele próprio esclareça alguns pontos.

Também é altamente recomendável colher detalhes relativos à responsabilidade de projetos e cargos anteriores, cursos formativos e a própria experiência na área de atuação. Lembre-se, no entanto, de evitar aqui questões de natureza íntima, como as relacionadas à orientação sexual ou preferências partidárias e ideológicas, pois isso pode abrir precedentes indesejáveis.

Ofereça espaço para o candidato

Como dissemos, a entrevista é o momento propício para que os candidatos falem de si mesmos e questões pertinentes que ainda não foram levantadas no processo. O mais indicado é deixá-los à vontade — porém, se alguma dúvida surgir, convém indagá-los sobre ela de modo sútil.

Uma entrevista estruturada deve incentivar os candidatos a descrever suas atitudes pregressas e as circunstâncias que os levaram a adotar esse comportamento, visando torná-lo passível de mensuração e observação. Imagine, por exemplo, uma entrevista em que o candidato afirma ser eficiente, ao que o entrevistador o questiona: “o que você entende por ‘eficiente’?”

Embora genérico, esse é um bom exemplo da necessidade de que o candidato elabore bons argumentos a respeito de suas qualidades, com exemplos de habilidades interpessoais ou mesmo experiências vividas.

Saiba dar um bom feedback

Verifique as diferentes formas de conseguir que os candidatos à contratação passem por experiências enriquecedoras e processos valiosos para a sua organização. É fundamental conscientizar os profissionais do setor de RH de que cada candidato deve ser encarado como um potencial cliente, uma vez que eles influenciam a reputação da sua marca.

Trata-se de indivíduos que dedicaram seu tempo nas distintas fases do processo de seleção, e buscam bons retornos sobre esses investimentos que realizaram. Aliás, muitos consideram que o fornecimento de feedbacks realistas e práticos, além de demonstrar consideração e respeito, é uma responsabilidade ética da sua organização.

Analise o cargo

Cada atividade demanda um conjunto diferenciado de habilidades e competências. Logo, é essencial realizar uma análise profunda da vaga a ser preenchida, para que a entrevista seja pensada e estruturada conforme o cargo.

É preciso ter clareza sobre quais são as competências técnicas necessárias, como cursos e conhecimentos, bem como as competências comportamentais, como empatia e habilidades de comunicação.

Determine os critérios de avaliação

Também é muito importante que, antes da estruturação da entrevista, sejam definidos os objetivos que ela deve atingir para ser bem-sucedida. Apenas dessa forma será possível delinear os critérios de avaliação, considerando a análise do cargo.

Esse, na verdade, será o pilar para a pontuação que o candidato atingirá em cada pergunta realizada, determinando o seu desempenho. É possível classificar as respostas em escalas — como “ruins”, “insatisfatórias”, “médias”, “boas” e “excelentes”, por exemplo — ou da maneira que for mais adequada para você.

Elabore os tópicos

Ao estruturar a entrevista em blocos, todo o processo se torna mais coeso internamente, viabilizando inclusive a sua aplicação, pois o entrevistador conseguirá ter mais clareza sobre o objetivo da análise em cada situação. Você pode montar esses tópicos da seguinte forma:

  • iniciar a entrevista e determinar rapport;
  • analisar a compatibilidade entre a cultura organizacional e o candidato;
  • verificar se o candidato apresenta as exigências da função;
  • informar-se sobre as experiências profissionais anteriores;
  • terminar e deixar bem claro quais são os próximos passos.

Formule as perguntas

As perguntas são as principais ferramentas de recrutamento e seleção da entrevista estruturada, e é por meio delas que os dados serão extraídos dos candidatos no processo de recrutamento e seleção. Logo, é essencial que sejam desenvolvidas com eficiência. Elas devem ser formuladas considerando todos os passos anteriores.

Também vale ressaltar aqui a importância de realizá-las de maneira aberta, para que não induzam a uma resposta ou outra. Por exemplo, use “Como você acha que…” no lugar de “Você não acha que…”. Assim você estimula o raciocínio livre, e as respostas serão muito mais verdadeiras a respeito do que o candidato pensa.

Treine os entrevistadores

O sucesso da entrevista dependerá diretamente da habilidade do entrevistador em conduzi-la. Logo, é muito importante que esse profissional seja muito bem capacitado para tal.

Um treinamento satisfatório nesse sentido deve fazer com que o entrevistador fique mais confiante ao aplicar a entrevista estruturada, capaz de analisar de forma eficiente as respostas dos candidatos e ciente de que não deve inserir julgamentos pessoais nesse processo.

Por fim, cumpre ressaltar: sempre que você divulgar amplamente as oportunidades de trabalho disponíveis, diversos interessados surgirão. É muito importante, então, garantir uma escolha eficiente daqueles que seguirão no processo seletivo, realizando análises prévias do perfil e do currículo desses candidatos.

Nesse sentido, um software de RH e LGD tem muito a oferecer. Com ele, a performance dos candidatos na entrevista estruturada facilitará a realização de escolhas fundamentadas e a identificação daqueles que podem, realmente, fazer a diferença para os resultados da sua empresa. E lembre-se: essa entrevista pode ser executada em várias organizações, sejam de grande, seja de médio ou pequeno porte.

Gostou da leitura? Então, não perca esta oportunidade de continuar se aprimorando: confira também por que a sua empresa precisa de um software de recrutamento e seleção!