Quer saber como ter qualidade de vida no trabalho? Veja aqui!

As atividades profissionais são importantes no contexto de qualquer indivíduo. E, cada vez mais, as pessoas estão preocupadas em buscar a qualidade de vida no trabalho, não se contentando apenas com ir para a empresa, exercer suas funções e receber um salário no final do mês. Atualmente, é preciso bem mais que isso.

No artigo de hoje, você encontrará algumas dicas que podem te ajudar a alcançar esse objetivo, por meio de algumas ações que fazem toda a diferença no seu dia a dia. Continue a leitura!

Por que é importante ter qualidade de vida no trabalho?

A qualidade de vida no trabalho não pode ser entendida levando em conta apenas um ou dois fatores, visto que é um tema bastante complexo que envolve diversas variáveis. É necessário estar atento ao nível de satisfação dos colaboradores com as funções que desempenham, com o ambiente, com a remuneração, além de aspectos comportamentais e do relacionamento com os demais.

Os gestores e profissionais de RH também precisam ficar ligados em questões da vida privada que podem estar influenciando no modo como os indivíduos conduzem suas atividades. É  fundamental que as pessoas se sintam reconhecidas, motivadas e respeitadas dentro da empresa.

Em alguns casos, é comum pensar na qualidade de vida no trabalho como algo que deve ser promovido apenas pela organização. No entanto, trata-se de uma via de mão-dupla, pois os colaboradores também têm grande responsabilidade em relação ao seu próprio bem-estar e ao dos colegas. Afinal, dedicamos grande parte do nosso tempo dentro de uma instituição ou mesmo em um negócio particular.

Permanecer em um trabalho que é considerado ruim, com condições inadequadas, que não faz com que a pessoa se sinta bem-vinda e acolhida, pode desgastar a saúde física e até mesmo ocasionar transtornos psicológicos. Vale ressaltar que as empresas também sofrem com isso, pois esses quadros elevam os índices de turnover.

Uma pesquisa realizada em 2018, pelo site UpJourney em parceria com a Branded Research, que entrevistou mais de 10 mil trabalhadores americanos, indica que apenas 4% disseram não se importar com a questão do balanço entre emprego e vida privada. Os demais mencionaram que a qualidade de vida é sim importante, sendo que 57% acreditam que isso represente passar mais tempo com a família.

No entanto, aqueles que pensam que o foco na qualidade de vida só serve para beneficiar os empregados, estão errados. Quando as pessoas se sentem bem e têm um bom relacionamento com os demais, a motivação para trabalhar é maior, além de demonstrarem mais dedicação e produtividade. Como consequência, acabam trazendo melhores resultados para a empresa.

Ao acreditar no que faz e sentir que pode evoluir na sua carreira, é possível contribuir para o crescimento do negócio, ao mesmo tempo em que melhora aspectos da sua vida pessoal com os frutos do seu trabalho. Você passa a trabalhar mais para atingir as metas organizacionais diariamente, uma vez que isso traz retornos tangíveis para si mesmo.

O que fazer para melhorar a qualidade de vida no trabalho?

São inúmeras as vantagens para as empresas que adotam a qualidade de vida no trabalho como diretriz e cultura. A produtividade, a atenção e o engajamento aumentam, de modo a melhorar o ambiente organizacional. Há uma diminuição nas despesas relacionadas a tratamentos de saúde, queda nas taxas de rotatividade, retenção de talentos, aumento de lucros etc.

E as pessoas também têm muito a ganhar, pois ficam mais dispostas para executar o que precisa ser feito, buscando reconhecimento pelo serviço realizado. Todos passam a contribuir para um ambiente de trabalho mais leve e inovador. Aspectos particulares também evoluem continuamente, como mais tempo gasto em atividades físicas e maior foco em uma alimentação balanceada.

É possível começar com uma mudança de atitude, buscando ações que alteram coisas pequenas e, assim, implantar mais iniciativas progressivamente. O importante é ter uma nova forma de pensar, orientada a esse propósito. Suba de escadas ao invés de usar o elevador, coloque alarme para lembrar de beber água, leve lanche para o trabalho para não ficar muitas horas sem comer.

Busque por desafios

Se coloque à disposição da empresa para realizar atividades mais complexas. E, ao mesmo tempo, se você tem subordinados, deixe-os mais livres, dentro do possível. Evite o chamado microgerenciamento. Muitas pessoas que se dizem infelizes no trabalho estão incomodadas com questões relacionadas ao modo como são tratadas por seus superiores.

A qualidade de vida no trabalho está diretamente relacionada à liberdade de pensamento e ação, conforme parâmetros estabelecidos. Dessa forma, respeitar o espaço dos outros é fundamental nesse processo.

O reconhecimento profissional também faz parte dessa melhoria. É preciso garantir que as pessoas que trabalham para você sejam sempre reconhecidas pelo bom trabalho que realizam, bem como pleitear junto aos seus próprios líderes a aprovação para si. E não pode ser apenas aquele famoso “tapinha nas costas”, é preciso algo real e concreto, como promoções e premiações.

Estabeleça e cumpra metas. Não basta ter apenas a intenção, é preciso correr atrás e atingir os resultados. Busque ajuda se necessário, envolva as equipes e demonstre seu valor. Concluir aquilo que foi estabelecido causa forte efeito psicológico para que a motivação esteja sempre elevada. E também gera fatos e dados para negociar junto à alta administração.

Identifique quantas horas você trabalha por semana

As pessoas normalmente dizem trabalhar 40 ou 44 horas semanais, porque é a quantidade de horas que consta na carteira que foi assinada. No entanto, na prática, a realidade pode ser bem diferente. Há aqueles que efetivamente trabalham bem menos que isso, apenas passando o tempo na empresa sem serem produtivos. Essa é uma situação bem complicada, pois tende a gerar problemas tanto para a empresa, que perde força operacional, mas também para o colaborador, que provavelmente ficará cada vez mais desmotivado.

Por outro lado, há pessoas que trabalham muito mais do que o tempo contratado. Seja fazendo horas-extras na própria empresa ou levando trabalho para casa. Muita gente não consegue se desligar e fica o tempo todo conferindo e-mails ou interagindo via telefone e WhatsApp para resolver questões relacionadas ao negócio.

Como tudo na vida, é preciso buscar o equilíbrio, de maneira bastante racional. Eventualmente, tanto situações de baixa produtividade quanto de trabalho além do esperado podem ocorrer. Mas é importante que isso não seja constante. Quando esse quadro se torna rotina, é importante avaliar e repensar.

Se for o caso, reduza a sua carga de trabalho. Especialmente, pensando em atividades que são mais repetitivas. Um software de recrutamento, por exemplo, pode ajudar nisso, pois permite automatizar diversas das rotinas, liberando tempo para que você se dedique ao que realmente agrega valor e que, possivelmente, está mais em linha com o que gosta de fazer.

Em geral, adotar sistemas que substituem grande parte da necessidade do envolvimento das pessoas nos processos trabalhistas pode ser um excelente diferencial na busca pela qualidade de vida no trabalho. Quando as pessoas se sentem mais úteis, atuando com aquilo em que realmente são boas e fazendo a diferença para o negócio, todos têm muito a ganhar.

Gostou do texto? Aproveite para compartilhá-lo em suas redes sociais!