Entenda aqui a relação entre inteligência artificial e dados

Você tem ouvido falar muito sobre os benefícios da inteligência artificial (IA) e a forma com que ela pode revolucionar o mundo, não é mesmo? Com isso, é natural que surjam algumas dúvidas sobre esse conceito e sobre a forma com que ele pode impactar na atuação dos profissionais no mercado.

Pensando nisso, abordaremos, ao longo deste artigo, alguns importantes pontos para que você entenda o que é a inteligência artificial, qual é a sua relação com dados, qual é a importância dos softwares para geração de informações, entre outros aspectos.

Quer ficar por dentro desse assunto? Então, continue a leitura!

O conceito de inteligência artificial

Antes de tudo, é importante ressaltar que a inteligência artificial (IA) pode ser compreendida como uma área multidisciplinar que, por meio da articulação de elementos próprios à ciência da computação, lógica e filosofia, estuda a criação e o desenvolvimento de entidades capazes de resolver problemas por si mesmas, utilizando o paradigma do pensamento humano.

De maneira geral, a inteligência artificial se dá por meio de processos que envolvem mais do que se pode perceber em experiências cotidianas. Por trás de cada recomendação personalizada e dos resultados de pesquisa relevantes que você obtém em seu smartphone, por exemplo, existe uma combinação de tecnologias que propiciam que a inteligência artificial funcione e, mais do que isso, afete a sua vida de alguma forma.

Essas influências sob seu dia a dia, por consequência, fazem com que você tenha expectativas ainda mais altas sobre as tecnologias inteligentes e dispositivos que usa. Para ficar mais claro, listamos abaixo algumas das principais tecnologias por trás da IA. Confira!

Termos importantes da inteligência artificial

São 3 os principais termos que, juntos, compõem o que é a inteligência artificial e apontam para um futuro cada vez mais automatizado. Confira abaixo:

Machine Learning

Talvez o mais conhecido entre os termos, o machine learning consiste no aprendizado de máquina que envolve computadores que aprendem com apenas o mínimo de programação.

Assim, em vez de programar regras para uma máquina e esperar o resultado, por meio do machine learning, é possível que as máquinas tenham certa autonomia e ditem suas próprias regras a partir dos dados alimentados. Alguns exemplos são as recomendações personalizadas na Netflix e na Amazon.

Deep Learning

O deep learning, como o próprio nome já diz, diz respeito ao aprendizado profundo, que ocorre por máquinas que utilizam algoritmos complexos para imitar a rede neural do cérebro, obtendo novos conhecimentos com pouca ou nenhuma supervisão.

Os algoritmos de deep learning conseguem reconhecer voz e linguagem natural, imagens e processos de aprendizado por conta própria.

Processamento de Linguagem Natural

Por último, o processamento de linguagem natural usa as técnicas de machine learning para encontrar padrões em grandes conjuntos de dados puros e também para identificar a linguagem natural.

Desse modo, um dos principais exemplos de aplicação do PLN é a análise de sentimentos, em que os algoritmos podem procurar padrões em postagens de redes sociais para compreender como os clientes se sentem em relação a marcas e produtos específicos.

O emprego da IA na gestão de Recursos Humanos

Para otimizar os procedimentos, a utilização de um bom software para gestão dos dados acaba sendo de suma importância, entre outras aplicações, para a gestão da área de Recursos Humanos (RH).

No contexto do RH, a inteligência artificial pode ajudar sua organização a lidar com processos relacionados ao recrutamento, seleção e retenção de talentos de maneira mais eficiente do que os métodos tradicionais.

Concomitantemente, permite que você realize isso mais rápido do que nunca e reduz a quantidade de trabalho manual necessário para atender a demanda da empresa, o que se consolida como um verdadeiro diferencial estratégico para a organização. Pensando nisso, destacamos, a seguir, alguns dos principais benefícios da utilização da IA no contexto do RH.

Logística de dados precisa

Usando a inteligência artificial, você evita muitas tarefas estressantes, monótonas e repetitivas. Isso significa que um bom software de gestão em recrutamento e seleção, entre outras inúmeras funcionalidades, pode digitalizar, ler e avaliar candidatos, dinamizando o processo seletivo e economizando um tempo valioso para a organização.

Isso, por si só, é um benefício de grande relevância, à medida que o recrutador se concentra em avaliar apenas um grupo qualificado de candidatos elegíveis. Em tais circunstâncias, a sua gestão de RH está apta a aumentar drasticamente a qualidade das decisões tomadas.

Powered by Rock Convert

Consequentemente, sua empresa economiza, também, os recursos financeiros que, de outra forma, seriam desperdiçados ao arcar com os custos associados a escolhas imprecisas.

Treinamento e capacitação

Com tantas mudanças ocorrendo periodicamente, é crucial que todos os colaboradores continuem aprendendo e aprimorando suas habilidades. Os dados gerados pelo software podem ajudar a inteligência artificial a embasar suas ações de planejamento, organização e coordenação de programas de treinamento para todos os membros da equipe.

Cursos online e salas de aula digitais estão entre as soluções mais comuns nesse sentido. Todavia, elas não são as únicas possibilidades, conquanto a IA pode determinar a melhor metodologia para o oferecimento de novos treinamentos, a fim de se adequar às preferências dos colaboradores e necessidades da empresa.

Avanço por meio de conjuntos de dados

A análise de desempenho é, sem dúvida, uma das melhores formas de garantir o avanço por meio de conjuntos de dados. Afinal, altos níveis de engajamento e produtividade são qualidades essenciais de qualquer profissional de sucesso.

Contudo, muitas organizações ainda têm sérias dificuldades para encontrar pessoas com essas características, devido ao fato de não estabelecerem rotinas adequadas para monitorar a performance e analisar os principais indicadores de recrutamento e seleção.

Maior aplicação a diferentes problemas

Atrair (e contratar) os talentos mais promissores não é a única preocupação do setor de RH. A adaptação é a segunda etapa do processo — infelizmente, é comum a muitas empresas que bons profissionais não se adaptem ao novo ambiente devido à falta de procedimentos de integração.

Novos funcionários tendem a exigir muita atenção e, frequentemente, é impossível dedicar tempo suficiente a cada um deles. Nesse ponto, a inteligência artificial pode intervir novamente, determinando procedimentos de integração personalizados para cada posição individual.

Atenção: não existe inteligência artificial sem dados

Agora que você entendeu melhor sobre a inteligência artificial e quais são os benefícios que ela pode gerar (sobretudo no contexto do RH), chegou a hora de destacarmos o ponto central do texto: a relação da IA com os dados.

Quando mencionamos a importância dos dados, estamos nos referindo a uma grande quantidade de informações armazenadas (Big Data) cruzando-se em alta velocidade. Trata-se de informações cujo crescimento é exponencial e a velocidade com que elas são processadas é continuamente incrementada.

Desse modo, sempre que falamos de inteligência artificial, é necessário falar sobre dados. Na prática, a articulação entre o crescimento da quantidade de dados — com as quais as empresas contemporâneas têm de lidar em seus processos diários — e a velocidade do processamento de todas essas informações é o que torna a inteligência artificial possível.

Uma vez que a inteligência artificial se baseia nos dados disponíveis e aprende com eles, ela emprega as informações para formar padrões estatísticos e realizar predições. Os seus inúmeros benefícios transcendem a área de RH e podem penetrar em praticamente qualquer campo.

Vale destacar, no entanto, que o termo inteligência artificial é amplamente utilizado de maneira equivocada. Muitas vezes, simplesmente pelo fato de algo ser tecnológico e contar com determinado nível de automatização, os profissionais tratam de apresentá-lo como IA.

Portanto, é sempre necessário tomar muito cuidado para tratar desse termo e, mais do que isso, lembrar-se dos pressupostos básicos que fazem com que a IA seja tão promissora. Na medicina, por exemplo, foi comprovado que a inteligência artificial pode contribuir com diagnósticos mais precisos. As possibilidades abertas pela IA empolgou, até mesmo, Stephen Hawking, um dos físicos teóricos mais brilhantes de nosso tempo.

Para tratar do assunto com mais profundidade, Hawking publicou um artigo conjunto com o especialista em ciência da computação Stuart Russell e os físicos Max Tegmark e Franck Wilczek.

Os autores sustentam que não há limites para o que é possível alcançar com a inteligência artificial, pois não existe leis físicas que impeçam as partículas em um sistema de IA de se reordenarem para efetuar cálculos mais complexos do que os seres humanos são capazes de fazer.

Desse modo, eles concluem afirmando que é perfeitamente razoável supor que se produza um salto radical e inesperado nas aplicações da IA em poucos anos.

Seja o que for que o futuro nos reserva, o fato é que a inteligência artificial é uma realidade que veio para transformar completamente a sociedade e as instituições. Mas isso só será possível com a realização de uma gestão de dados efetiva.

Segundo uma matéria recentemente publicada, a articulação entre inteligência artificial e dados provou ser extremamente produtiva na prática. Os novos contratados que passam por programas de integração bem planejados geram taxas de retenção bem mais altas.

Este post foi útil para que você entendesse qual é, de fato, a IA e qual é a sua relação com dados? Se sim, assine a nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades da área de recrutamento e seleção!