Quais os impactos do turnover em uma empresa?

O turnover é um assunto que desperta grande preocupação entre gestores e CEOs. Quando registrado em altas porcentagens, pode trazer sérios problemas à imagem da empresa e dificultar a atração de talentos competentes.

Entender exatamente as suas causas e como evitá-lo faz parte do trabalho de qualquer gerente de RH e impacta diretamente na sobrevivência do negócio.

Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura!

O que é turnover?

O turnover refere-se à rotatividade dos funcionários em uma empresa. Sua medição e acompanhamento são extremamente importantes, afinal, uma alta taxa de turnover pode ser sintoma de problemas mais graves como falta de engajamento, liderança ruim ou condições precárias de trabalho.

Não há um consenso sobre o número ideal, já que essa taxa pode variar de acordo com o ramo de atuação e tamanho da empresa.

Quais são as suas causas?

Diversos motivos podem provocar a demissão de um profissional, seja por iniciativa dele ou da empresa. Destacamos aqui os mais comuns:

  • baixa remuneração;

  • condições ruins de trabalho;

  • problemas de relacionamento interno;

  • questões com a liderança;

  • baixa valorização;

  • excesso de trabalho e cobranças;

  • baixo rendimento;

  • muitas oportunidades no mercado;

  • falta de identificação com a empresa ou função.

Como o turnover impacta a empresa?

A rotatividade traz diversas complicações para a organização. Conheça as principais.

Complicações na gestão de pessoas

O desligamento de um colaborador exige a redistribuição de tarefas para que o fluxo de trabalho continue a funcionar. Isso não só preocupa os gestores, como sobrecarrega o restante da equipe, afetando a produção.

Danos ao employer branding

Uma empresa com turnover alto fica mal vista no mercado, tanto pelos clientes como pelos profissionais que buscam uma recolocação. Afinal, se uma vaga é reaberta constantemente, isso é um grande sinal de problemas na retenção.

Aumento de custos

Qualquer demissão custa muito caro. São gastos com os direitos rescisórios, processos seletivos, treinamentos e readaptação do novo funcionário.

Devemos considerar também que um colaborador recém-contratado precisa de um período de adaptação para que consiga produzir no mesmo ritmo do trabalhador que saiu da empresa.

Perda de inteligência para a concorrência

Qualquer colaborador, independentemente da sua função, leva consiga informações sobre o processo produtivo e as estratégias. Ao sair da empresa, essa experiência é compartilhada no novo emprego, mesmo que de maneira involuntária.

Problemas no clima organizacional

Um local no qual os funcionários são demitidos constantemente carrega uma atmosfera de medo e insegurança. Os demais colaboradores ficam receosos de serem os próximos e têm uma postura proativa em prol da própria carreira, buscando por novas oportunidades antes que o desligamento ocorra.

Vale lembrar que esse fator também afeta os índices de produtividade.

Como reduzir o turnover?

Quando a alta rotatividade é constatada, deve ser resolvida em caráter emergencial.

Selecionamos algumas ações que podem ser praticadas em organizações de qualquer setor ou porte:

  • entenda as dificuldades e ambições dos seus colaboradores;

  • faça avaliações constantes de clima organizacional;

  • mantenha canais de comunicação abertos;

  • invista em um bom pacote de benefícios;

  • trabalhe a motivação e o engajamento.

Contratações sem o alinhamento das competências técnicas e comportamentais necessárias também são outro fator que provoca o turnover. A melhor maneira de evitar esses desligamentos é por meio de uma seleção bem apurada, que pode ser feita com a ajuda de um bom software de gestão de recrutamento.

Se você quer conhecer mais a fundo as práticas para evitar o turnover, confira este post sobre como reduzir a rotatividade de funcionários.