Recrutamento inteligente: conheça a sua evolução ao longo dos anos

Um dos maiores desafios em empresas de todos os segmentos de mercado é buscar e selecionar continuamente os melhores profissionais. Sempre que há uma vaga nova que precisa ser ocupada, o setor de RH inicia um processo complexo. E o recrutamento inteligente ajuda bastante nesse contexto.

Neste artigo, então, você poderá entender melhor a respeito desse conceito e sobre como ele evoluiu ao longo dos últimos anos. Por isso, continue a leitura para conferir.

O que é o recrutamento inteligente?

A história da seleção de profissionais remonta ao início do século passado, especialmente em virtude de dois grandes marcos: a revolução industrial e as guerras mundiais. Por motivos obviamente distintos, houve a necessidade de recrutar e escolher pessoas para assumirem diferentes responsabilidades. Nas empresas que começavam a surgir e também nas fileiras de combate.

Com isso, teve início o processo de constituição de modelos corporativos, bem como a definição de alguns critérios preliminares que determinavam o que precisava ser feito e quais seriam as características e conhecimentos que alguém deveria ter para executar.

Houve diversas mudanças com o passar do tempo. Dos antigos anúncios em jornal e das enormes filas formadas por pessoas que queriam deixar seus currículos nas portas das empresas, hoje falamos de divulgação via redes sociais e de sistemas que automatizam parte das rotinas burocráticas.

Surge então a ideia de recrutamento inteligente. Seu conceito está fortemente vinculado ao uso da tecnologia como suporte à seleção. Passa pelo uso de algoritmos que ajudam a fazer a triagem de currículos, além da utilização de inteligência artificial e de softwares que facilitam a comunicação.

Outro ponto importante é a noção de que as empresas atualmente estão mais interessadas em avaliar questões comportamentais dos candidatos e não apenas as suas habilidades técnicas. Para tanto, novas formas de interação estão sendo utilizadas nesse sentido.

Possibilidades do recrutamento inteligente

Hoje em dia, em virtude do advento da internet, quando um recrutador divulga uma vaga, o alcance é bem maior. E, com isso, o número de interessados atinge volumes impensáveis. Por um lado, isso é ótimo, pois há mais chance de se encontrar alguém com perfil próximo ao ideal. Porém, há de se fazer um esforço maior para filtrar esses currículos recebidos.

Há sistemas que conseguem ler e interpretar os arquivos, buscando por palavras-chave e termos de interesse que podem ser predefinidos e que facilitam nessa primeira etapa. Com isso, o analista de RH consegue se dedicar especificamente a avaliar aqueles currículos que têm uma maior probabilidade de serem interessantes para a empresa.

Por meio da tecnologia, também é possível realizar testes e entrevistas por meio virtual. Além de facilitar a compilação de dados, já que tudo fica registrado, isso também democratiza o acesso às oportunidades e reduz custos. Tanto para a empresa, que não precisa alocar espaço físico para isso, quanto para os candidatos que não precisam se deslocar nessas etapas preliminares.

A comunicação entre o RH e os candidatos fica muito mais fácil e transparente. Não há mais a necessidade de escrever um e-mail para cada pessoa que não foi aprovada, por exemplo. Os próprios softwares podem ser configurados para enviar mensagens automáticas assim que as etapas se sucedem. Além disso, toda a informação fica centralizada, minimizando erros e duplicidades.

Quais as consequências do recrutamento inteligente?

Além de agilidade e possibilidades de gerar economias, o recrutamento inteligente traz alguns benefícios que são extremamente interessantes para qualquer empresa, especialmente pensando na gestão estratégica de recursos humanos.

As ferramentas e técnicas permitem contratações mais acertadas. Um problema grave em qualquer negócio é o turnover. Esse indicador diz respeito à quantidade de pessoas que pede para sair ou que é demitida durante um período. Esse processo acontece naturalmente, mas quando o índice é muito alto, as consequências podem ser severas.

E uma forma de reduzir o turnover é justamente contratando melhor. Quando você consegue identificar os candidatos que têm mais possibilidades de se adaptarem às funções, tanto no que diz respeito aos aspectos técnicos quanto ao aculturamento com os colegas e com o próprio ambiente de negócios.

O recrutamento inteligente também melhora a experiência geral dos candidatos. Isso se relaciona fortemente ao conceito de employer branding, que vem sendo difundido de alguns anos para cá. Ele está relacionado à construção da marca de um empregador, a partir da qual as pessoas passam a identificar aquela organização como sendo um bom lugar para trabalhar.

E essa perspectiva deve ser desenvolvida desde quando um indivíduo ainda nem trabalha na empresa. Quando alguém participa de um processo e se sente maltratado ou desrespeitado, se torna um detrator. Ele pode passar a influenciar negativamente seus amigos em relação à companhia. E há um risco altíssimo, pois quando isso é feito via Facebook ou Twitter, pode atingir níveis inimagináveis.

Fundamentalmente, o recrutamento inteligente ajuda as empresas a recrutarem os melhores talentos. As pessoas que realmente podem fazer a diferença no negócio, chegando para agregar em seus processos desde quando iniciam no trabalho. As alterações promovidas no processo facilitam buscar e identificar os profissionais que podem se inserir melhor ao contexto da organização.

Perspectivas futuras

Algumas pessoas acham, de maneira equivocada, que, no futuro, as máquinas substituirão todo o processo. Isso não é verdade ou, pelo menos, não há como ter qualquer evidência a respeito. Ao contrário, o contexto de negócios está indo muito mais na direção da humanização.

As pessoas gostam de se relacionar com as empresas e com os produtos que consomem. As principais marcas atualmente são aquelas que conseguem entregar valor que vai além do funcional. E isso também vale para a seleção de profissionais.

Ou seja, o que veremos cada vez mais é o uso massivo da tecnologia como forma de apoiar o recrutamento. A utilização de Big Data e Analytics, por exemplo, permite lidar com enormes bases de dados a fim de identificar padrões e conseguir enxergar as formas mais efetivas de lidar com as pessoas no nível individual.

Com isso, o tratamento a cada candidato será ainda mais customizado, fazendo com que suas percepções sejam mais e mais positivas. Dessa forma, se você está buscando implantar o recrutamento inteligente em sua empresa, convidamos a conhecer a Selecty.

Nosso software de gestão de seleção existe para colocar as melhores tecnologias à disposição de seu negócio, simplificando as atividades, melhorando a interação com os candidatos e aumentando suas taxas de sucesso. Assim, entre em contato conosco e saiba como podemos estabelecer um relacionamento que fará toda a diferença nesse processo tão importante!