Indicadores de recrutamento e seleção: KPI’s matadores para sua empresa

Alguns profissionais de RH têm dificuldades para melhorar seus processos. Isso porque muitos deles não estabelecem métricas que permitam avaliar suas tarefas e agir pontualmente. Mensurar os indicadores de recrutamento e seleção é algo primordial para trabalhar de forma orientada ao resultado, atingindo as metas estabelecidas com sustentabilidade.

Confira, neste artigo, quais são os principais KPIs indicados para gerenciar corretamente essa importante atividade e tenha mais sucesso em suas contratações!

O que são indicadores de recrutamento e seleção?

Os indicadores são métricas capazes de fornecer informações a respeito de diversos aspectos ligados aos colaboradores de recrutamento e seleção. Isso inclui desde a eficácia, passando pela qualidade e pela capacidade, até os pontos estratégicos.

A ideia é tornar a rotina da gestão de pessoas mais eficiente, reduzir custos, melhorar investimentos e também ter serviços mais competitivos e essenciais no mercado atual. Basicamente, os indicadores de recrutamento e seleção analisam os resultados de diversos processos, monitorando e controlando o andamento de tarefas que fazem parte do dia a dia.

Como funcionam e qual a importância deles na tomada de decisão?

Para entender a importância dos indicadores de recrutamento e seleção, vamos a um exemplo. Imagine que uma empresa tem várias equipes de vendas. Para ter ideia dos resultados obtidos por elas, são utilizados os indicadores de desempenho, que medirão a performance de cada colaborador e trarão uma resposta sobre o que tem sido feito, bem como sobre a qualidade e a eficácia das abordagens no processo.

Assim, se a equipe está abrindo muitas oportunidades de vendas, mas poucos negócios são fechados ao longo do caminho, os gestores usarão as informações obtidas para decidir quais características considerar na hora de escolher futuros colaboradores.

Ou seja, eles não decidirão por algo sem ter a devida resposta e poderão definir as melhores estratégias para selecionar os melhores contratados. Mas, afinal, qual a melhor maneira de medir isso? Confira a resposta a seguir!

Meça o turnover

A medição do turnover ajuda a entender como está a rotatividade dos colaboradores da empresa. Quanto mais alto o índice, maior a necessidade de demissões e contratações, o que representa um custo alto para o orçamento da empresa e problemas nas condições de trabalho.

Afinal, se as pessoas não estão satisfeitas, elas buscarão dar um rumo diferente para a carreira. E se isso acontece logo no início da contratação, é hora de ligar o alerta. Portanto, a importância desse indicador está ligada a ações que podem ser tomadas a partir das informações obtidas. Assim, é possível trabalhar na gestão dos profissionais, a fim de aumentar o seu engajamento e criar um ambiente de trabalho mais saudável.

Saiba qual o tempo de fechamento de uma vaga

Apesar de a contratação ser algo que leve tempo, uma grande demora pode desgastar os profissionais e ainda fazer com que surjam problemas na hora de colocar a pessoa certa para ocupar o cargo.

Por isso, uma métrica essencial é o tempo de fechamento de uma vaga, desde o anúncio até o contrato. A ideia de ter tal métrica em mãos é justamente poder promover melhorias no processo de recrutamento e seleção, a fim de que ele seja mais ágil, mas não perca a sua qualidade.

Tenha ideia sobre o seu funil de contratação

Como o próprio nome infere, a ideia dessa métrica é saber qual a taxa de conversão em cada etapa do funil de contratação. Basicamente, as fases se dividem em quatro:

  • candidatos participantes do processo;
  • candidatos que foram qualificados;
  • finalistas do processo;
  • profissionais contratados.

Todas as etapas devem ser medidas a fim de verificar a eficácia do processo. Por exemplo, o recrutador pode identificar que não há candidatos qualificados em número suficiente. Isso fará com que ele precise reiniciar o processo e necessite de uma base mais consistente e maior para realizar o fechamento da vaga.

Avalie a qualidade de suas contratações

Uma das principais fontes de prejuízos ocasionados por processos de recrutamento e seleção é a contratação errada. Quando você admite um profissional que não permanece no quadro por certo período, a perda é evidente, inclusive financeira.

Além dos encargos relativos à rescisão, há a perda pelos eventuais investimentos em treinamentos e em outras atividades de acolhimento, sem falar no desgaste junto aos demais colaboradores, que pode acarretar em danos ao clima organizacional.

Para evitar transtornos, é fundamental verificar a aderência do candidato à cultura da empresa e o seu desempenho após a efetivação, se possível, desde o início do exercício de suas atividades.

O profissional de RH também deve monitorar o índice de turnover e absenteísmo, pois podem indicar que os pedidos de desligamentos de empregados têm outras razões mais profundas e que podem ser sistêmicas.

Identifique a performance do seu time de seleção

Para que sua empresa faça a escolha de candidatos de modo eficiente, é imprescindível que os envolvidos atuem com o máximo de comprometimento e agilidade possível.

Para conseguir avaliar se o desempenho da equipe está ocorrendo conforme o esperado, você deve medir alguns indicadores, como o volume de entregas de cada selecionador, calculando o racional de quantas vagas ele fecha por período e também a velocidade com que entrega as vagas. Mensure se essas entregas rápidas e em quantidades satisfatórias atingem os SLAs (níveis de serviço) estabelecidos.

Outro ponto a ser medido é a quantidade de candidatos que passam pelos filtros e quantos são encaminhados para os gestores versus a quantidade de contratações que se efetivam.

Saiba se os envolvidos estão satisfeitos

Todo processo de recrutamento e seleção conta com diversos interessados — entre eles, os gestores, que precisam das vagas preenchidas, e, é claro, os próprios candidatos.

Para ter sucesso, é recomendável que todos esses envolvidos demonstrem um bom nível de satisfação com as atividades que sua equipe desenvolveu, desde a divulgação da vaga até a escolha de um interessado e a dispensa dos demais.

Então, por meio de pesquisa, avalie a satisfação de todos. Pense sobre qual é o momento mais oportuno para questionar e não deixe de abordar nenhum deles, inclusive os candidatos que, eventualmente, forem reprovados.

Conheça seus custos na ponta do lápis

Assim como em outras atividades da empresa, é fundamental que você conheça seu orçamento e avalie a efetividade de suas ações. Calcule o ROI (retorno do investimento) dos seus métodos de divulgação de vagas, identificando quantos candidatos foram atraídos por cada canal na comparação com os valores pagos. Priorize aqueles mais interessantes para a empresa.

Tenha os números de horas de dedicação de seus colaboradores e também os outros gastos eventuais, como em testes e logística. Faça uma relação entre esses custos e a quantidade de vagas que foram abertas pelos setores e precisaram ser preenchidas. Dessa forma, você consegue se resguardar e demonstrar a importância de sua área, bem como a preocupação com um uso cuidadoso dos recursos da empresa.

O gestor que não consegue estabelecer boas formas de medir o desempenho das atividades de seu setor, certamente, faz a gestão de modo intuitivo, sem embasamento em fatos e dados.

Trabalhar com indicadores de recrutamento e seleção apropriados pode, sem dúvidas, dar os diferenciais de que você precisa para garantir o sucesso do processo. A utilização de sistemas de R&S, com certeza, facilita muito esse exercício.

Gostou deste artigo? Então, descubra como fazer um recrutamento de alto volume em grandes empresas!